ASPIRANTES

548092-970x600-1

Por Melissa Silsame

“Aspirante”: aquele que almeja ser, o que virá ou não a ser.”

Buscando compreender o título do filme a ideia dele se torna ainda mais transparente para o espectador. Aquele que tem uma meta, um candidato a algo, porém está sujeito ao fracasso tanto quanto ao sucesso.

Nesse meio, o filme apresenta a história de Júnior, jovem que almeja ser jogador de futebol profissional, desejo compartilhado com o melhor amigo Bento, ao mesmo tempo que tem de lidar com a gravidez da namorada Karine.

O ritmo é lento e agradável como uma tarde em uma praia do Rio de Janeiro, onde o filme se passa. Os personagens, aliás, não têm pressa pra nada. Júnior no início de seu desenvolvimento demonstra certa passividade com o mundo ao redor, principalmente com a ideia de ser pai, achando que “tudo vai dar certo”. Assim também é Karine, em certas partes bem mais interessante do que o protagonista, sendo uma garota de iniciativa e que “não deixa de surfar porque está grávida”.

E não podemos esquecer de Bento, o rostinho conhecido da produção interpretado pelo ator Sérgio Malheiros. Ele compartilha do sonho de brilhar no futebol, mas diferente de Júnior, parece já ascender antes do amigo.

Aí que pensamos estar o ponto chave do filme, o jeito que lidamos com nossas frustrações. Percebemos que Júnior acaba se tornando um ímã de emoções negativas, absorvidas de seu arredor, canalizando sua frustração em inveja ao amigo Bento. Aos poucos a amizade passa a se tornar áspera: chegamos ao clímax do filme, quando o barril de Júnior explode.

Aspirantes consegue trabalhar bem sobre aquela fase da vida onde buscamos desesperadamente por um sonho, apesar dos obstáculos nos apegamos a ele com toda a força, mas quando nada parece dar certo pra nós e para os outros, sim, no sentimos derrubados. Mas como lidaríamos com isso? Deixar que a inveja tome conta de nós? Desistindo? Perseverando?

Apesar da leve apatia na primeira metade do filme, a atuação de Ariclenes Barroso como Júnior se torna tão convincente nos momentos de tensão que quase podemos nos sentir ameaçados por aquela energia tão forte.

Talvez Aspirantes tenha também almejado ser algo mais do que é, mas acaba não transbordando a barreira do esperado. Consegue passar uma boa história sonhos e as incertezas da vida adulta, mantendo o foco no veneno amargo da inveja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *