NERD OF THE DEAD

 

 

Nerd-of-the-Dead

 

 

Por João Marciano Neto

 

Nerd of the dead é uma websérie brasileira de ação e comédia idealizada por Rodrigo Gasparini. Com o total de quatro episódios e sendo realizada de forma independente, a trama envolve uma dupla de amigos que se encontram no meio de uma tão aguardada infestação zumbi em seu apartamento. Os dois então se preparam para salvar Raquel, amiga e interesse amoroso do protagonista, e saírem vivos do condomínio. O projeto realizou-se através do apoio e, principalmente, da divulgação realizada pelo site Omelete, junto a um financiamento coletivo e a participações especiais do dublador Guilherme Lopes e do humorista Danilo Gentili. Seu decorrente sucesso é um fenômeno surpreendente que chega até mesmo a levantar especulações sobre a gradativa independência das séries da mídia televisiva graças a internet, o que não é meu objetivo no momento.

 

A produção é simples, mas muito bem desenvolvida e trabalhada para agradar o público jovem para o qual é voltada. Com linguagem contemporânea e bem informal, Nerd of the dead faz inúmeras referências que podem ser facilmente reconhecidas pelo espectador, abrangendo filmes, videogames, quadrinhos e inúmeros outros produtos da cultura pop. Aquele que for mais atento poderá reconhecer diretamente elementos de Scott Pilgrim à Kill Bill (o próprio título nos remete aos clássicos de George A. Romero), entretanto, não é pré-requisito possuir um repertório de “nerdice” para aproveitar a série. Além de seu conteúdo altamente rico, dentro deste âmbito de cultura jovem, suas características mais marcantes com certeza são a maquiagem e os efeitos utilizados. A experiência visual da série encanta e diverte juntamente com seu humor irônico que inúmeras vezes satiriza os principais clichês narrativos, especialmente os cinematográficos.

 

A forma como os personagens são apresentados e construídos desperta uma forte simpatia no espectador. Apesar de explorar a temática dos zumbis, é totalmente extrovertido e não se prende à violência gráfica. Considero Gasparini quase que um herói pessoal por ter levado o projeto adiante, mesmo que sua primeira temporada tenha se encerrado com apenas quatro episódios de aproximados quinze minutos. Nerd of the dead pode não ter sido apoiado pelos conservadorismo do mercado audiovisual brasileiro, mas houve toda uma movimentação na internet para que a série (ou seria “microssérie”?) pudesse se concretizar. Esta proximidade com o público se revelou como uma quase relação afetiva, já que é uma produção brasileira que dialoga com os interesses deste grupo consumidor.

 

Inicialmente pensavam em produzir um longa, ou então viabilizar um curta metragem, mas pela limitação de recursos optaram pela websérie, o que acabou sendo não só a opção mais viável, mas também um modo mais rápido de chegar a seu público. Veicular este material na internet foi realmente uma estratégia bem perspicaz numa perspectiva prática de exibição, pois além de independer de um distribuidor ou um canal televisivo, possibilitou ao espectador assisti-lo a qualquer momento e divulgar facilmente com os amigos, permitindo ainda um rápido retorno sobre a aceitação e difusão do material na rede.

 

Sua proposta é bastante original e esbanja criatividade, inclusive por não demonstrar qualquer limitação, revelando assim a admirável competência do grupo todo como realizador. De fato é uma produção que se difere bastante de tudo que já foi feito utilizando zumbis. De modo muito grosseiro, Nerd of the dead é uma versão otimizada do que seria um crossover refilmado no Brasil de Napoleon dynamite (2004) com O dia dos mortos (1985). Uma produção notável e bem explorada que revela o potencial criativo do brasileiro na disciplina da narrativa seriada e na realização de audiovisual.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *