GARAPA

  Por Jessé Patrício Desde os anos sessenta com o Cinema Novo, a Caravana Farkas e os documentários sociológicos, que o povo do sertão nordestino ganhou certa visibilidade na cinematografia nacional, porém, poucos filmes dessa vertente cinematográfica conseguiram mostrar a miséria de um povo esquecido pelos poderes públicos através de…

Read More

A CHINESA

Por Camila Mota É impressionante como obras antigas ainda podem nos marcar fortemente. Essa semana me peguei investigando filmes antigos e eis que encontro um filme de Godard esquecido aqui entre meus dvd’s, A chinesa, de 1967. Quarenta e cinco anos depois, me pego bestificada e encantada novamente por essa…

Read More

LEOPOLDO SERRAN

 UMA CÂMERA SOBRE LIVROS Artigo Publicado originalmente no catálogo da mostra Leopoldo Serran, escrevendo imagens (2012) Por Guilherme Sarmiento Antes de avaliar os méritos das adaptações cinematográficas realizadas por Leopoldo Serran, gostaria de chamar a atenção para algumas dificuldades que todo crítico ou ensaísta encontra ao tratar o roteiro como…

Read More

HESHER

Por Camila Mota A falta da mãe pode causar diversos distúrbios no ambiente familiar e, principalmente, na vida de uma criança. O filme Hesher trata exatamente desta questão. É interessante ainda, pois apesar de ser um drama, onde questões familiares são abordadas, o diretor cria uma forte ligação, e até…

Read More

PRO DIA NASCER FELIZ

por Jessé Patrício   Que a educação do país sempre foi um dos nossos principais problemas isso todo mundo já sabe, porém João Jardim no seu filme Pro dia nascer feliz (2006) tenta retratar, mesmo que de maneira generalizada, quais são os verdadeiros defeitos desse sistema educacional que se mostra…

Read More

CASTELO/APIPUCOS

DOIS CURTAS DE JOAQUIM PEDRO DE ANDRADE  Por Guilherme Sarmiento   Cardiovitol O ano, por volta de 1952, quando o escritor modernista já recebia injeções de cardiovitol na veia e arrastava os pés inchados pelos cômodos da rua Ricardo Batista, 18, quinto andar/SP.  O dia: 15 de agosto. A hora:…

Read More

FREAKS

TODOS SOMOS FREAKS Por André Araújo A cada dia, o cinema nos prega uma peça, nos surpreende com o seu poder de unir, numa mesma obra, sentimentos tão diversos, que vão da repulsa à identificação. É impossível sair indiferente a uma sessão de Freaks. O filme rodado em 1932, e…

Read More

O CORVO

Por Camila Mota Edgar Allan Poe foi um escritor, poeta, romancista e crítico literário estado-unidense, e que nesse filme, aparece como o único capaz de poder resolver os crimes que vem acontecendo na cidade de Baltimore. O filme traz ainda a suposta história de como Poe morreu, e de como…

Read More

CAVALO DE TURIM

NIETZSCHE, O PROFETA DO APOCALIPSE Por Guilherme Sarmiento Há algumas semanas atrás, Carolina Dieckman saiu da livraria com um volume de Nietzsche debaixo do braço. Posicionou o exemplar de maneira a deixar o nome do filósofo bem nítido, junto de suas axilas perfumadas, num ângulo que permitisse aos paparazzo veicularem…

Read More

FILMES IRANIANOS

A IMAGEM COPIADA   Por Guilherme Sarmiento Sempre estranhei o fato do Irã, um país islâmico e, consequentemente, avesso a qualquer tipo de idolatria através da representação, seja ela artística ou religiosa, tenha se tornado celeiro de um culto tão deslumbrante às imagens em movimento. Quem permitiu a este grupo…

Read More

HITLER TERCEIRO MUNDO

Por Camila Yallouz   1.Introdução   José Agrippino de Paula, escritor, poeta, dramaturgo, performático e cineasta, faleceu em 2007 e apenas depois de sua morte foi devidamente visto pela crítica. Seu filme Hitler terceiro mundo jamais foi exibido comercialmente e é um caso exemplar de arte das bordas. Produzido no…

Read More

GIRIMUNHO

Por Maíra Silva Conde Fernandes Girimunho gira em torno da vida cotidiana de Dona Bastu, que recentemente ficou viúva do ferreiro Feliciano e busca a calma através de lembranças e sinais do dia a dia. Tem grande apego à vizinha Maria do Boi, que carrega a tradição nos tambores e…

Read More

UM DIA NA RAMPA

A CESTA CÂMERA Por Diego Jesus Um dia na Rampa (1960), de Luiz Paulino dos Santos, concentra-se num espaço geográfico da cidade de Salvador e tenta explicá-lo a partir das relações sociais existentes nele. Como o subir e descer da Rampa do Mercado Modelo e sua reverberação na dinâmica do…

Read More

DOIS COELHOS

Por Camila Mota   Nos dias atuais, uma das grandes discussões é de como vídeos que são postados na internet fazem tanto sucesso, como esse meio que até alguns anos atrás era de difícil acesso para as massas, como consegue atingir milhares de espectadores. Claro que com o barateamento e…

Read More

ESTÔMAGO

  Por Camila Mota   No estomago tudo se mistura e vira uma coisa só. Raimundo Nonato, é o protagonista nessa história, vindo do interior, ele chega na capital para tentar mudar a sorte e melhorar de vida. No primeiro momento temos a apresentação de Raimundo Nonato e de Seu…

Read More

A PUBLICIDADE NA BAHIA

Por Guilherme Sarmiento Acho que foi na época em que o Garotinho era governador, mas pode ter sido quando ocupava a Secretaria de Segurança de Rosinha Garotinho. Este casal tem o dom dos ventríloquos, de modo que hoje já não sei exatamente quem falava por trás de quem. Sei que uma voz…

Read More

XINGU

Por Camila Mota 1943, os irmãos Villas Bôas partem para uma viagem em busca de novas descobertas, em busca dos índios que viviam no Mato Grosso e que o governo procurava cada vez mais fazer contato. A história do Parque Nacional do Xingu nos é contada de uma maneira clássica…

Read More

UMA LEITURA DE ZÉ DO CAIXÃO

INDAGAÇÕES HISTÓRICAS E ESTÉTICAS SOBRE O CINEMA MARGINAL Por Thacle de Souza   1.  Sobre Zé do Caixão & o cinema marginal Esta análise de Zé do Caixão é guiada pela bibliografia do crítico Jairo Ferreira, em seus livros “Cinema de Invenção” e “Críticas de Invenção”, e por uma tentativa de…

Read More

CINEMA E ANARQUIA

RESENHA DE UM LIVRO FUNDAMENTAL Por Margarida Maria Adamatti No fim de 2009, a Cinemateca Brasileira traduziu e publicou um livro sobre cinema e história, mas o trabalho não repercutiu como devia. Apesar dos deslizes da tradução (as notas de rodapé – mais de 400 – estão fora de ordem),…

Read More

O INÍCIO, O FIM E O MEIO

A HISTÓRIA DE RAUL SEIXAS Diogo Nunes O documentário Raul Seixas: o inicio, o fim e o meio (2012), dirigido por Walter Carvalho, é um filme revelador. Com a proposta de contar a história do roqueiro baiano, apresenta Raulzito como nenhuma outra encenação havia apresentado – que já contou com…

Read More

MALHANDO A MTV

Por Guilherme Sarmiento   Todos os dias, entre meio dia e uma da tarde, desço ao térreo do meu prédio e sigo até um pequeno cômodo envidraçado, no qual os condôminos com as mensalidades em dia podem desfrutar de duas esteiras, um elíptico e alguns acessórios para exercícios aeróbicos básicos.…

Read More

HABEMUS PAPAM

BARTLEBY NO VATICANO Por Guilherme Sarmiento Semana passada, para distrair meu filho de quatro anos, resolvi ler para ele A divina Comédia, de Dante. Era uma versão adaptada por Seymor Ghwast e recentemente publicada pelo selo de quadrinhos da Companhia das Letras. Conforme avançava na narrativa, percebia que os desenhos…

Read More

O BRASIL COMO O OUTRO

A DICOTOMIA CLÁSSICA “NÓS-ELES” NO CINEMA por Dagoberto José Bordin   1. Introdução A dicotomia “nós-eles”, como método de classificação no âmbito da antropologia, pode não fazer mais muito sentido no século XXI, nas sociedades pós-coloniais, quando escasseiam cada vez mais nossas tradicionais comunidades de “nativos” e o sujeito/objeto das…

Read More

O ARTISTA

UMA VIAGEM NO TEMPO Por Guilherme Sarmiento Ainda no início da sessão do filme O artista, comecei a imaginar como os espectadores do século passado, especialmente aqueles que viveram os conturbados anos 20, receberiam o filme dirigido por Michel Hazanavicius. Tentei me colocar no lugar daquela platéia cujo olhar viu…

Read More

MATRIX

A REALIDADE ESTÁ LÁ FORA Por Adriano Oliveira 1. Do mercado para a academia The Matrix (1999) é, sob vários aspectos, um fenômeno da indústria de entretenimento. Sucesso de público e crítica, o filme, escrito e dirigido pelos irmãos Andy e Larry Wachowski, renovou o gênero da ficção científica, mesclando…

Read More

SETE DIAS COM MARILYN

Por Camila Mota   Marilyn Monroe foi uma das mais célebres atrizes norte-americanas na década de 50, brilhava não somente por ser talentosa, mas por ser também um ícone de sensualidade e popularidade no século XX. Em Sete Dias com Marilyn, o diretor Simon Curtis leva ao espectador, através do…

Read More

BICICLETAS DE NHANDERÚ

Por Camila Mota   Um raio que cai pode significar muitas coisas.  Na Grécia antiga significava que Zeus, deus supremo, estava irritado com os mortais, e o mandava em direção à Terra com a intenção de puni-los. Na sociedade atual, um raio significa uma descarga elétrica perigosa aos que estiverem…

Read More

OS FILMES DE AGNÈS

Por João Aleixo Os filmes de  Agnès Varda fazem-me retornar a uma questão muito íntima: por que o documentário, por que o cinema? Saio de seus filmes querendo olhar, escavando na minha memória eventos que possam dar um filme. A partir de seu olhar, me pego tentando catar olhares sobre…

Read More

O BRASIL EM CURTA-METRAGEM

 UMA BREVE HISTÓRIA Por Simplício Neto    Este percurso do filme de curta-metragem no Brasil guarda um aspecto de paráfrase de três obras canônicas, fundamentais para o que Jean-Claude Bernardet chamou de historiografia clássica do cinema brasileiro em seu livro homônimo. Neste, o autor questiona, entre outros aspectos do seu…

Read More

A GAROTA DA CAPA VERMELHA

Dir: Catherine Hardwicke 2011,Canadá Por: Camila Mota Idade Média ou Idade das Trevas. É assim que se descreve nos livros de história o período em que se situa o filme A garota da capa vermelha, uma época onde seres macabros e tenebrosos escondiam-se nas sombras e apareciam de tempos em…

Read More

NOVOS PERCURSOS

UM RECORTE SOBRE A PRODUÇÃO CEARENSE RECENTE   Por Marcelo Ikeda 1. Introdução: um panorama da produção cinematográfica cearense contemporânea e o papel dos cursos de formação A recente produção cinematográfica cearense vem ganhando destaque a partir de uma forte repercussão em mostras e festivais brasileiros. “Nunca antes na história…

Read More

O CURTA EM CANNES

Por Fernanda Aguiar C. Martins Louvável iniciativa a da chalet pointu de reunir em formato DVD uma coletânea de curtas-metragens selecionados para a Quinzena de Realizadores, programação paralela ao Festival Internacional de Cannes, conhecida pelo fato de revelar novos talentos. Mencionando apenas alguns nomes, atualmente célebres, descobertos na Quinzena, há…

Read More

LOST FILMS

UM PORTAL ALÉM DA VIDA Por Guilherme Sarmiento Navegar é preciso, viver não é preciso. Esta frase cultuada como uma máxima de enciclopédia hoje tem em seu horizonte de expressão um ato tão hábil quanto inerte: ficar horas diante de uma tela de computador, “navegando” na internet. Não se precisa…

Read More

CACHOEIRA DOC

ENCONTRO E CELEBRAÇÃO DO DOCUMENTÁRIO    Por Toni Caldas   Silêncio. O filme vai começar. Desejos que extrapolam o ordinário, movimentos, lugares, linguagens e um novo espaço. Olhares, sentidos, percebidos, analisados. Luz, câmera a ação de pé aplaudidos ao final. Assim, o abstrato se faz concreto no II Festival de…

Read More

EM DEFESA DO CURTA

Uma carta de Giba Assis Brasil   Em agosto deste ano, os editores de Cinecachoeira entraram em contato com a Casa de Cinema de Porto Alegre, afinal, como abordar o curta-metragem no Brasil sem ao menos algumas palavras sobre esta produtora de antologias como “Ilha das flores”, “Barbosa”, “O dia…

Read More

NAVARRO

Texto realizado para a disciplina de Crítica Cinematográfica, ministrada pela Professora Cyntia Nogueira em 2010 Por Diogo Nunes Navarro (1999), obra de Marcondes Dourado, tem na performance do cineasta Edgard Navarro toda a insatisfação de uma geração baiana que passou cerca de vinte anos sem filmar um longa. O filme…

Read More

HANDEBOL

Texto realizado para a disciplina de Crítica Cinematográfica, ministrada pela Professora Cyntia Nogueira em 2010 Por Diego Jesus A juventude figura-se em Handebol (2010), de Anita Rocha da Silveira, através de elementos estéticos e lingüísticos que surgem no decorrer da estória e a constroem de órgão a órgão, como num…

Read More

NEGO FUGIDO

FORRO OU FUGIDO? Texto realizado para a disciplina Crítica Cinematográfica, ministrada pela Professora Cyntia Nogueira Por Larissa Andrade “Brinquedo de nego forro fugido é abrir roda para mostrar que tudo é caça e caçador”. A frase define muito bem a complexidade da formação e posição social do negro brasileiro, evidenciado…

Read More

ORFÃOS DE SYD FIELD

A ESCRITA EM CURTA-METRAGEM Por Guilherme Sarmiento   Ato I Devo confessar uma blasfêmia. Nunca li Syd Field durante minha formação como roteirista. Talvez certa rebeldia juvenil contra o cinema americano tenha contribuído para este desdém um tanto afetado, que minha função pedagógica, hoje, desaconselha a radicalizar. Pois o fato…

Read More