JARDS

Camila Mota Cinema e música unem-se novamente no documentário de Eryk Rocha. Não é nenhuma novidade vermos essas duas formas artísticas agirem de maneira conjunta, afinal desde os primórdios do cinematógrafo que a música o acompanha. O que chama atenção em Jards é a maneira artesanal com que Eryk Rocha…

Read More

TRABALHAR CANSA

  Por Ian Gadelha   Trabalhar cansa é um filme diferenciado dentro do cinema brasileiro contemporâneo: não pela temática que aborda, mas pela escolha de um viés sobrenatural e fantástico para temas tão caros à sociedade. A trama é simples: Helena, mulher de classe média, resolve alugar um velho mercado…

Read More

AMOR

MICHAEL HANEKE E AS LÁGRIMAS Logo que cheguei à Sala de Arte Vivo Paseo, localizada em um shopping pequeno e burguês, onde se serve no saguão comida mexicana com um acentuado gosto de cominho, uma velhinha simpática pegava da mão do bilheteiro o seu troco. Ela iria assistir ao filme…

Read More

BOA VISTA PARA O MUNDO

Infância, Memória e Imagem “As crianças pequenas têm muito mais percepção do que termos para traduzi-las; sua visão é em todos os momentos mais rica, sua captação é sempre mais forte que o vocabulário do qual podem dispor”. Henry James     1. Introdução   A partir das imagens produzidas…

Read More

NOTAS SOBRE LUZ NAS TREVAS

POR OCASIÃO DA HOMENAGEM A HELENA IGNEZ Por Ismail Xavier Em Canção de Baal, Helena Ignez realizou um espetáculo de alta densidade, verdadeira pérola de um cinema contemporâneo rarefeito em criações desta envergadura. O filme incorpora uma experiência cultural das últimas décadas que Helena simboliza em seu extraordinário percurso de…

Read More

HERMILO CONTRA EVALDO

A PRIMEIRA TEORIA DO CINEMA DO BRASIL   Por Paulo Carneiro da Cunha Filho   Este artigo resgata a repercussão do livro A Imagem Autônoma, lançado em 1972, e a polêmica intelectual envolvendo dois intelectuais pernambucanos: o filósofo Evaldo Coutinho e o romancista Hermilo Borba Filho. Os argumentos revivem as polémicas…

Read More

CINEMA E ANTROPOLOGIA

  Por José da Silva Ribeiro    Em Setembro de 2009, realizou-se em Portugal o I Festival de Cinema Antropológico e o estudo sistemático do cinema em antropologia tem dado no país, ainda que hesitantes, os primeiros passos. Em primeiro lugar foram muitos os colegas antropólogos ou documentaristas que fizeram…

Read More

A 24 QUADROS

TEMPOS E MOVIMENTOS EM HELENA IGNEZ [vimeo 55791083]      Por Camila Yallouz e Glenda Nicácio   “- Eu sou simplesmente uma mulher do século XXI, sou um demônio antiocidental. Eu cheguei antes, por isso sou errada assim!” [1]   Subindo por um balão e desaparecendo no infinito das galáxias,…

Read More

ÍNDIOS E REGISTROS FÍLMICOS

FILMES DO LABORATÓRIO DE ANTROPOLOGIA VISUAL EM ALAGOAS Por Sílvia Aguiar Carneiro Martins O presente trabalho propõe uma reflexão a respeito dos filmes produzidos por pesquisadores do AVAL – Grupo de Pesquisa Antropologia Visual em Alagoas, fundado em 2004, com pesquisadores vinculados a diferentes instituições. Como um grupo de pesquisa…

Read More

CANÇÃO DE BAAL

UM ÉPICO CONTEMPORÂNEO.    Por Angelita Bogado   Helena Ignez, atriz consagrada pelo cinema brasileiro, apresenta ousadia e originalidade em seu longa metragem de estreia Canção de Baal (2008). Inspirada na obra do dramaturgo alemão Bertolt Brecht (1898-1956), Ignez reverencia o teatrólogo, mas também o subverte. Esta leitura apontará o…

Read More

FEMINA

CONTRIBUIÇÃO PARA UM CINEMA MAIS FEMININO [vimeo 54336614] Por Paula Alves     A mulher no cinema   Segundo Buet (BUET, 1999: p.4-19), nas primeiras décadas do cinema, as mulheres estavam presentes principalmente como atrizes e assistentes. A presença na direção era rara. O cinema de mulheres desponta na Europa especialmente…

Read More

CARMEN SANTOS

SOB A LUZ DAS ESTRELAS     Por Ana Pessoa   À primeira vista, a biografia de Carmen Santos (1904-1952) mais parece um conto de fadas dos tempos modernos: uma pobre imigrante se torna uma sedutora estrela e influente produtora de cinema. Ao se acompanhar o percurso pessoal de Carmen,…

Read More

REVISTA CINEMA LIVRE

No início da década de 1980, o cineasta e crítico José Umberto elaborou um projeto de revista onde cada número seria editado por um cineasta convidado, com autonomia para elencar sua própria equipe de redatores e colaboradores. A iniciativa gerou 4 edições, a primeira delas montada pelo próprio José Umberto.…

Read More